Pirilampo Mágico 2016


Apr 22, 2016

 

CAMPANHA PIRILAMPO MÁGICO

A Campanha Pirilampo Mágico é uma Campanha realizada anualmente, no decorrer do mês de maio, em parceria com a RDP - Antena 1 e toda a sua organização é promovida pela FENACERCI, unindo esforços de todos os colaboradores e diretores desta mesma Federação.

 

OBJETIVOS DA CAMPANHA PIRILAMPO MÁGICO

Angariação de fundos em favor das CERCI`s e outras organizações congéneres; A “Campanha Pirilampo Mágico” envolve cerca de 100 Organizações sem fins lucrativos e mobiliza milhares de pessoas entre familiares, técnicos e cidadãos anónimos.

Informação e Sensibilização da opinião pública sobre a problemática da pessoa com deficiência intelectual e/ou multideficiência procurando salvaguardar o direito à igualdade de oportunidades e o exercício da cidadania plena deste tipo de população. A integração das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência é um valor a defender, a sua diferença, um valor a respeitar e a rentabilização do seu potencial um valor a considerar!

 

CARATERIZAÇÃO DAS ENTIDADES BENEFICIÁRIAS DA CAMPANHA

As Organizações beneficiárias da Campanha, são instituições privadas sem fins lucrativos, que prestam atendimento direto ou indireto a pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência em diversos domínios, nomeadamente ao nível de Estruturas Educativas, Centros de Formação e Apoio ao Emprego, Unidades de Emprego Protegido, Centros de Atividades Ocupacionais destinados a desenvolver atividades socialmente úteis para pessoas com deficiência profunda, Unidades Residenciais, apoio Domiciliário e Intervenção Precoce.

 

 

 

 

COMO NASCEU A CAMPANHA PIRILAMPO MÁGICO

“Noite de 2 para 3 de Setembro de 1986 estava no ar uma entrevista para o Programa “Arte de Bem Madrugar” na RDP-Antena 1 onde foram abordados alguns dos problemas financeiros com que se defrontava na altura a CERCILISBOA, bem como, alguns dos projetos em que esta se encontrava envolvida”. Sensibilizados que ficaram os elementos desta estação para a situação, foram imediatamente, no dia a seguir, encetados contactos entre a FENACERCI e o Diretor de Programas da RDP-Antena 1, Sr. José Manuel Nunes que propôs a esta Federação, a realização de uma campanha de solidariedade com carácter de abrangência nacional em favor de todas as CERCI`s. Nascia aqui a “Campanha Pirilampo Mágico”, aberta oficialmente a 11 de março de 1987 tornando-se desde então, uma das mais participadas campanhas de solidariedade existentes no nosso Pais.

 

E NASCEU UM PIRILAMPO…

Tendo-se definido os objetivos da campanha que se pretendia desenvolver, foi na primeira campanha e por via da música, cuja letra foi criada a partir de um poema escrito pela Maria Alberta Meneres, que nasceu o Pirilampo Mágico, “mascote” para sempre adotada e que se constituiu desde esta altura, como objeto de venda, destinado a angariar fundos que visam desde sempre, a criação de respostas sustentadas e de qualidade destinadas à população com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

 

 

A IMPORTÂNCIA DA CAMPANHA PIRILAMPO MÁGICO

O pirilampo é hoje um dos maiores, senão o maior símbolo de solidariedade social em Portugal. A causa social a que está associado – o apoio a crianças e jovens com deficiência intelectual e/ou multideficiência; o notável trabalho desenvolvido pelas CERCI`s a nível nacional; a familiaridade e laços afetivos estabelecidos com os cidadãos portugueses há mais de duas décadas, conferem a este ícone um estatuto de grande credibilidade e impacto mediático que muito tem contribuído, por via da angariação de fundos, para o sucesso das intervenções que vêem sendo desenvolvidas junto deste tipo de população. A colaboração dos órgãos de comunicação social, de figuras públicas ligadas aos campos das artes e letras, das empresas e ainda a indispensável adesão voluntária de milhares de pessoas sem as quais certamente, o objetivo e o sucesso desta campanha ficaria comprometido, são razões mais dos que suficientes para deixarmos bem claro, o quanto agradecemos a colaboração e adesão de todos a esta iniciativa que serve um propósito tão digno e tão importante para a prossecução do muito que já conseguimos e conquistámos no campo dos direitos inalienáveis que devem ter as pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

COMO NASCEU O “PIRILAMPO MÁGICO”

Esta é uma pequenina história verdadeira que nos vai falar de uma menina de 8 anos e de uma família de pirilampos, ao luar.

A menina era eu que, nessa altura, vivia toda contente, com os meus pais e duas irmãs mais novas, em pleno campo ribatejano!

Foi ali que aprendi a admirar o nascer e o pôr-do-sol; a encontrar as tocas das raposas; a adormecer com os pulinhos e o coaxar das rãs; a salvar as galinhas e os pintainhos das garras dos milhafres; a gostar de ouvir a música dos rebanhos a atravessar os pastos; a assustar-me com as corujas a voar pela noite fora… enfim, a ouvir as mil e uma vozes de uma Natureza viva, e da qual sentia que fazia parte.

À noitinha, muitas vezes escapava-me para mais longe e ia sentar-me junto de um sobreiro já muito muito velho que, no tronco junto ao chão, tinha um buraco muito grande que parecia uma toca escura e misteriosa, e era onde dormiam quatro raposinhos. Eu gostava muito daquele medo bom de ficar ali, à espera que me chamassem de casa, em altos gritos!

Esse, era mesmo um lugar maravilhoso porque de repente, quando eu estava sentada no chão, muito quieta, começavam a girar à minha volta umas luzinhas misteriosas que não faziam barulho nenhum e eu nem sabia donde vinham…

- “São pirilampos!” – disse-me um dia a minha mãe.

Desde essa altura, passei a conversar, à minha moda, com esses leves e brilhantes pirilampos que, para falar verdade, sempre me ouviram muito bem comportados e com a maior atenção!!!

Entretanto, e porque naquela altura ainda não havia Escolas por ali, onde pudéssemos estudar, os meus pais resolveram que era melhor virmos viver para Lisboa. E assim foi. Desde então, era só durante o tempo de férias que voltávamos para o campo. E eu nunca me esquecia de ir passar algum tempo com os meus amigos pirilampos – cada vez mais: filhos, netos ou bisnetos dos que eu já tinha conhecido…

E o tempo foi passando. Acontece que há cerca de vinte e tal anos, tendo seguido a minha vocação de Escritora, dei comigo a trabalhar como Autora da Versão para Português actual, da “Peregrinação”, de Fernão Mendes Pinto. A convite da RDP (Radiodifusão Portuguesa), de que era Director o Dr. José Manuel Nunes, fiz vários programas de apresentação e leitura de tais textos. Gostei muito desta experiência de Rádio.

Ora já tinha passado algum tempo, e estava eu muito descansadinha em casa, a escrever o que me apetecia, quando certo dia tocou o telefone!!!

Sabem que era?! Pois era, lembro-me perfeitamente, o Dr. José Manuel Nunes (que não tenho ideia de nessa altura ser o Presidente da RDP, que veio a ser…) e que, numa voz divertida me falou assim:

“Ó Maria Alberta, veja lá se se lembra de um animalzinho…talvez um bichinho especial que possa servir para figura de uma Campanha de Solidariedade que queremos lançar aqui na RDP, a favor das crianças da CERCI!!! E que não seja muito complicado de construir – pode ser?”

E claro que disse logo que sim, mas que tinha de desligar o telefone, para pensar melhor. E foi quando, de repente, me lembrei dos meus tempos de criança e dos Pirilampos meus amigos, com as suas luzinhas a brilhar numa noite escura. Como que a chamar a nossa atenção para o seu sentido luminoso!

Não demorei nada a pegar no telefone e a ligar, com a resposta pronta. E resultou assim:

EU – Está lá! Já sei que bichinho pode ser: assim uma bolinha com uns olhinhos a brilhar, um PIRILAMPO…

Do outro lado da linha telefónica, o Dr. José Manuel Nunes quase gritou: …MÁGICO!

Foi assim que nasceu o título “PIRILAMPO MÁGICO” para esta Campanha de Solidariedade a favor das Cercis.

Maria Albeta Menéres