O medo nas crianças


Jan 20, 2020

Sabias que…

…o medo é protetor?

 

As emoções estão associadas a padrões de ação específicos, isto é, perante um determinado acontecimento, o sujeito tende a fazer uma avaliação que desencadeia uma emoção (positiva ou negativa) e, posteriormente, uma ação (aproximação ou afastamento).

Quem nunca se assustou quando um amigo aparecia de surpresa? Ou quando ouvíamos um barulho estranho?

O medo é uma das emoções básicas que o ser humano possuí e, tende a surgir quando o indivíduo perceciona um determinado estímulo como perigoso e ameaçador do seu bem-estar e/ou segurança. Quando sentimos medo, ocorre uma ativação ao nível do sistema nervoso autónomo que prepara o corpo para neutralizar ou enfrentar a ameaça.

Esta preparação, por parte no nosso corpo, assume um papel de extrema relevância na nossa sobrevivência, uma vez que nos permite responder face a ameaças e, por este motivo, os medos podem ser protetores e adaptativos. Não é por acaso que quando atravessamos a estrada temos tendência a olhar de um lado para ver se vêm carros (medo de ser atropelado), ou evitamos sítios muito altos com medo de cair (medo de alturas) ou até escuros porque não temos perceção visual (medo do escuro).

Contudo, o medo nem sempre é biológico e universal, este pode ser apreendido através das experiências, do desenvolvimento e da interação dos indivíduos, podendo tornar-se desadaptativo (i.e., quando o medo é desproporcional à ameaça). Assim, é importante compreender a natureza dos nossos medos, e caso estes desencadeiam níveis de ansiedade e/ou provoquem mal-estar social, pessoal, profissional ou académico é fundamental recorrer à ajuda de um/a psicólogo/a. Este profissional poderá ajudá-lo a lidar com o medo/ansiedade.